Mais de nove mil pessoas já tomaram a vacina contra a gripe nos postos de saúde de Castro. No entanto, ainda faltam mais de quatro mil pessoas para serem imunizadas, a maioria delas crianças e profissionais de saúde.

No sábado (13), aconteceu a mobilização nacional para vacinação e todos os postos de saúde de Castro permaneceram abertos, no entanto, segundo a chefe da Vigilância Epidemiológica, Marielen Wieczorek Nocera, a procura foi baixa. “Pode ser que as pessoas estejam com medo devido a reação à vacina que quatro pessoas tiveram em Curitiba e foram hospitalizadas. Mas foram casos isolados e não há riscos em tomar a vacina. Pedimos as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários que procurem os postos de saúde o quanto antes, pois só temos mais 12 dias de campanha”, diz.

Grupos

A meta, estipulada pelo Ministério da Saúde, é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários para a vacinação.
Devem tomar a vacina pessoas com mais de 60 anos, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses de 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores de saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Os professores do ensino básico (Ensino Regular, Especial ou Educação de Jovens e Adultos - EJA) e superior das escolas públicas e privadas devem levar declaração da escola em que atuam.

A vacina é eficaz contra três tipos do vírus da gripe que mais circulam no país, como o Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. 

A campanha termina no dia 26 de maio.